PROFISSÕES DO FUTURO: EDUCAÇÃO FÍSICA

PROFISSÕES DO FUTURO: EDUCAÇÃO FÍSICA

É inegável o impacto que a pandemia da Covid-19 trouxe a todos os países, e no Brasil não foi diferente. Começando pelo mercado de trabalho, imputando grandes desafios às empresas, e com a necessidade de sair da zona de conforto, de quebrar paradigmas sobre o local de trabalho, sobre a utilização de novas tecnologias e inovação para manter-se no mercado e ser competitivo. Ao mesmo tempo, para os trabalhadores esta relação também é verdadeira, mas principalmente sobre a ótica da saúde física, mental, social e familiar. As pessoas assim como as empresas precisaram avançar nestes desafios e nas perspectivas, mas quais são eles?

Vamos tratar dois temas de forma paralela na procura do "novo" mercado de trabalho pós pandemia. Ao mesmo tempo que o home-office foi a tônica de muitas empresas e profissionais, a necessidade de se destacar e demonstrar qualificação e habilidades comportamentais para lidar com as diversidades, talvez seja o tempo para uma carreira profissional de sucesso.

Ao refletir sobre isso ficam as perguntas: Mas quais seriam as profissões do futuro? O que é preciso fazer para ser assertivo e ter sucesso?

Vale lembrar que o sucesso na profissão depende muito mais de você do que da área escolhida, mas logicamente podemos pensar nas estatísticas e observar as profissões que estão em ascensão. Com as novas regras para aposentadoria (sonho da maioria do brasileiros), fica evidente que muito mais do que aumentar os anos de vida é necessário aumentar a vida aos anos, ou seja, é necessário envelhecer com saúde e com autonomia, principalmente funcional, e isso requer cuidados precoces como fazer exercício físico ao longo de toda a vida. Pesquisas apontam que mesmo começando a praticar exercício após os 30 anos de idade, você terá uma sobrevida de 3 a 4 anos.

Outros desafios como a obesidade e o sedentarismo, problemas globais que têm se intensificado ano após ano. De acordo com dados da PNS (Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE) 2019, pessoas com obesidade ou sobrepeso já são a maioria da população brasileira: 96 milhões de pessoas – o que representa 60,3% da população adulta do país – têm excesso de peso. E a obesidade já é considerada um problema de saúde pública, que exige atenção de diferentes profissionais, entre eles, os profissionais de Educação Física.

A necessidade de estimular um convívio familiar mais saudável, os relacionamentos sociais mais intensos, é possível observar o esporte como um mecanismo em potencial para isso; é só observar o crescimento exponencial nas atividades como caminhadas e corridas em família, pedalar em grupos e mais recentemente a modalidade de beach tennis; uma verdadeira avalanche de praticantes e que ressignificou muitas famílias e grupos de amigos.

De modo geral as pessoas querem viver mais e melhor e como divulgado amplamente ser fisicamente ativo diminui em 25 a 30% das pessoas terem agravos em sua saúde por conta de doenças infeciosas e virais, como o COVID-19. Neste cenário fica evidente que o profissional de Educação Física é o que se destaca, pois é o único profissional habilitado a fazer prevenção de doenças por meio do movimento corporal.

Se liga na dica! A área de Educação Física como um todo tem crescido no Brasil, podendo até compreendermos que é a profissão com os mais altos salários, a exemplo dos técnicos esportivos como do futebol. E a diversidade de oportunidades também é grande, diversos esportes, escolas, academias, boxes, estúdios, lazer, gestores, clínicas, saúde coletiva, entre outros.

Quem deseja ingressar no mercado de trabalho ou tentar uma recolocação profissional deve entender que é extremamente necessário investir em qualificação e no desenvolvimento das habilidades comportamentais. O grande desafio é como se destacar em meio à concorrência. E certamente, um curso de graduação é o primeiro passo para iniciar ou transformar uma carreira profissional de sucesso.

 
Deseja se aprofundar mais neste assunto? Em nosso canal no Youtube, nosso diretor Jorginho Fernandez, em seu programa "Um atleta bem amador", entrevistou o professor Joni Márcio de Farias e, entre vários outros assuntos interessantes, falaram sobre Educação Física. Não perde! Acessa o link: #005 - Joni Márcio, professor da UNESC é o convidado de Jorginho Fernandez

Prof. Joni Márcio de Farias

O que o acadêmico aprenderá num curso de Eduacação Física?

Segundo o coordenador da Unesc - Universidade do Extremo Sul Catarinense, Joni Márcio de Farias, além de estudar num curso que forma profissionais de Educação Física há 40 anos e possui um Corpo Docente altamente qualificado com doutores, mestres e especialistas; o acadêmico terá a sua disposição uma infraestrutura com ginásios, miniauditório, salas de ginástica, dança e musculação, piscina, pista de atletismo, quadras poliesportivas, campos de futebol e laboratórios de fisiologia do exercício, cineantropometria, anatomia, bioquímica e estudos pedagógicos, além da biblioteca com vasta literatura específica.

Nesta graduação o aluno irá compreender a pluralidade de movimento humano relacionado ao exercício físico, ao esporte, o lazer e a saúde, possibilitando a interação entre o conhecimento técnico-científico e a sociedade. Planejar, coordenar, dinamizar e executar serviços, programas, planos e projetos, com criatividade e criticidade, respeitando os valores humanos e éticos.
whatsapp-icon